segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Sapo de cidade grande


imagem google


Era uma vez um sapo que viva na cidade e levava a vida pulando de uma poça para outra. Poça rasa, água de chuva, suja é preciso lembrar afinal, era uma cidade. E uma grande cidade! 
Um dia, querendo mudar de ares, pegou carona na rabeira de um caminhão e foi parar em uma vila bem distante. Uma vila com lagoa...
Chegou à noite, tudo escuro e em silêncio. Só uns grilos faziam serenata. O sapo, parado em frente àquela imensa lagoa, pensava estar diante do mar já que nunca, em sua breve existência, havia encontrado tanta água. De repente, ondejou o líquido dentro dela. Um peixe - oh, um peixe! -  ele nunca tinha visto um, a não ser é claro nas bancas de revista, ou nas vitrines das peixarias. Só então reparou em uma bola branca e brilhante no meio  d’água. Seria um disco voador? Uma invasão? Não se lembrava de ter encontrado algo parecido. A bola, a escuridão, o silêncio...sentiu medo e achou que a vida por ali era muito arriscada, esperou o próximo caminhão e voltou para a confortável intranqüilidade da cidade grande.

Nenhum comentário:

Postar um comentário